sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Na minha adolescência eu quase profanei a bíblia.

  
Eu tava com a faca e o queijo na mão. Ao invés de comer, eu li - a bíblia. Eu era uma anta! Eu tinha 17 anos. Vírgem. Doutrinarista. Ao sair do banho e entrar no meu quarto, vi  jogada na cama, nua em pelos, minha namorada. "Sexo só depois do casamento - Jesus passou maiores provações e venceu o mundo" Esse era o meu lema.  A garota que na igreja era quase a noiva Cristo; ao chegar em casa tinha o corpo dominado pela carne. (e que carne!). Os meus olhos quase saltaram da cara. Desprevenido como eu estava, ela me rancou a toalha, me deixando nú. Me joguei na cama mais do que depressa. Eu estava desesperado - para esconder a minha nudez. Caí debrussado na cama já pegando a bíblia debaixo do travesseiro, e comecei a ler em voz alta. Enquanto eu dizia:  "O Senhor é meu pastor e nada me faltará"; ela dizia: "Por favor! Me come! Eu não aguento mais!       Eu tava pra furar a cama.   E continuava: ...Deitar me faz em verdes pastos; guia-me as águas tranquilas... E ela continuava: ...Por favor! Eu não aguento mais! Me come! Eu te amo!    Ela arrastava a cara do lula na minha bunda nua. Eu comecei a implorar a Deus por misericórdia; e a espulsar o satanás em nome de Jesus. (...) Anos depois eu me senti uma anta. Ainda bem que a minha doutrina não dizia que eu tinha que engolir um rozário para me purificar. Eu iria me sentir a Laid Gaga; uma anta!
 (Se você se divertiu com esta postagem, deixe-me o seu comentário. Em seguida eu, Obede Simão, deixarei um comentário sobre o seu comentário) Obrigado!
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário